sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Sobre quando a gente se vê em outro alguém...


Não sei se estou pronta para (re)conhecer-te, nem para prender teu cabelo e muito menos para me engasgar com teus cigarros. Isso tudo porque, de ti, não tive mais que palavras ditas em todas essas folhas do calendário. Eu não sou do tipo que pede demais, só tenho medo de encarar novamente o teu pior lado... por isso eu lhe ensinaria aquilo que aprendi: tocar a vida sem agredir, saber esperar pela chuva de três dias (que você me prometeu) e a deixar de usar aquelas roupas que já não posso, só isso. Quando eu quis estar contigo, era porque queria estar comigo. É que, quando você me estende palavras (a única coisa que tive de ti), eu sou quem eu sempre fui, mas que nunca deixaram que eu fosse.


« »