sábado, 4 de dezembro de 2010

Um amontoado de coisas sobre ser assim


Quis eu, jogar fora o passado e de ti desistir. No entanto, pensar nisso tudo é o que mais tenho feito. Muito. Dia desses, ouvi você contar a outro alguém que existem coisas que você ainda não entende, mas não entende por que não quer, pensei. É que, no seu ver, eu te deixei, e talvez eu tenha mesmo, mas eu também me deixei. E a parte mais difícil de deixar a si mesmo, é que a gente nem se dá conta. Você sempre me entendeu, então entenderia. Talvez o amor tenha sido menor que o quanto errei, que o quanto sumi de mim, e foi aí então que você deixou tudo para lá, não quis mais entender e se sentiu meio só. Também sempre fui meio só, mas aprendi que sumir de mim, faz com que eu seja eu mesma. Seja lá quem eu for. Eu já me desculpei mil vezes e expliquei que as pessoas se perdem vezenquando. Se perdem, se encontram. . . Eu também não entendia muito dessa de perder e encontrar até saber que é assim que sou, e desculpe se estou sendo dura demais, só acho que, o que você não entende é um amontoado de coisas sobre ser exatamente como se é. E quando você finalmente entender, eu não terei mais tanta culpa; vou conseguir parar de pensar nisso tudo e ao teu lado poderei ser assim, tendo um final mais feliz e sendo capaz de te dar muito mais do que eu já quis.


(Para a pessoa que mais me entendeu, um pedido oculto de desculpas).

0 Comentários:

Postar um comentário

« »