segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A Hora dos Morangos


...tudo começou com um sim, mas que sim foi esse que fez tudo começar?

“Deixe-me te levar, pois eu estou indo aos campos de morangos.”
“Mas o tempo ainda não está bom...” - discordei.
“Deixe-me te levar.”
“Mas o tempo... o tempo...”
Começou assim. Puxou-me pela mão e fui seguindo aqueles passos, pensando naquele tempo e aceitando com um sim. Eu costumava segui-lo, mas aquele dia foi tudo estranho. O tempo enganava que estava bom, ou talvez mais que o tempo. Nunca fui de desconfiar, pelo contrário, mas eu olhava por toda parte. Coisa estranha de se pensar.
Campo adentro, olhei meus pés, senti medo e já sabia. Como se o futuro voltasse ao passado, somente para me preparar. Segurou, então, minhas mãos e disse que seria o fim:
“...preciso te deixar triste para que, então, fique feliz. Preciso deixar que me perca, para que possa se encontrar.”
Antes que eu dissesse algo, o vento bateu rápido e frio, erguendo meu vestido azul claro, e cobrindo meu rosto com cabelos. O céu passou a ficar tão pesado quanto as palavras que ele havia usado.
“Eu tentei avisar que o tempo ainda não estava bom!” - ressaltei.
“Se não agora, então quando?”
“Não sei quando. Não é tempo. Não sei.”
E eu não sabia mesmo. Olhei pro meu vestido que, com as gotas, estava se tornando azul escuro. Os morangos, talvez, dali uns minutos nem existissem mais. Quem é que entende essa coisa de ter que ser triste para depois então ser feliz?
Não era tempo, mas talvez eu estivesse errada. Poderia estar na hora, pois o céu resolvera chorar por mim. Com desdém, olhou-me. Botou o dedo em riste, dizendo para que eu me virasse e fosse embora. Sem olhar pra trás, pois já era hora. E fui.
Dizem por aí que “se com um passo a gente fica dois passos mais distante, é porque a outra pessoa também está indo embora...” É isso, mas eu achava que não. Que não. Não. Tudo começa com um sim e termina em um fim. Em um fim de tempo bom, como aquela chuva que veio, veio, veio, e não parava nunca.
Estou a chorar.
Chove.

2 Comentários:

  1. "Preciso te deixar triste para que, então, fique feliz...
    Quem é que entende essa coisa de ter que ser triste para depois então ser feliz?"

    Muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Sua linda. ♥
    Já disse o que achei do texto, mas só uma palavrinha pra reforçar: INCRÍVEL.

    <3

    ResponderExcluir

« »