quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Canto, Conto, Encanto, Encontro



Ao te encontrar
desconheço-me de mim,
e o começo é o fim
de tudo que quero lhe mostrar.

Eu esqueço, tu encanta.
O que tinha feito a mão,
foi feito em vão,
até a lembrança, que era tanta.

E como quem canta
Pro teu encanto direi não
Será minha vez então,
acabando com isso que não adianta.

Queria conseguir te contar
Queria coseguir-te assim:
“Ufa, enfim!”
Para outra vez poder amar. . .

Um dia, conto.
Um dia, canto.
Te encanto.
Se, por aí, te encontro.


(A um desconhecido).


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Peixe que Canta & Passarinho que Escreve


Vezenquando, você compunha sobre meu poema mais bonito, enquanto eu, por volta e meia, escrevia sobre a tua mais bela canção. E hoje estendo a ti esse pedacinho que contém cem palavras musicadas. Fiz, pois sempre faço o mundo girar de um jeito que te faça mais feliz. Fiz, pois eu sempre escrevia da tua canção. E hoje - mesmo não tão bela - estendo a ti para que enfim entenda nossas tristes diferenças. E que entenda que nunca estivemos juntos de verdade. Sabe? Tu és peixe, enquanto eu sou passarinho. Bem assim mesmo, só que em preto e branco...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Canção de como o Mundo é...


É que se esse mundo fosse
feito para ser doce,
fosse eu quem eu fosse,
acho que, doce eu seria...
O mundo é assim pra mim.
Vou parar de te querer assim,
tão pertinho de mim,

enquanto ainda não é dia.

« »