segunda-feira, 29 de março de 2010

Par de Asas



Sabe aquele par de asas que nunca esqueço de carregar comigo por onde ando? Então, moço, esses dias atrás eu me dei conta que preciso saber quem é o dono. Preciso saber se aquele par de asas é meu ou teu. O que acontece é que nos misturamos tanto, mais tanto, que na hora de desmisturar umas partes foram para lados errados. E ficamos assim. Trocados. E agora já nem sei mais separar o que é meu do que é teu. Faz assim então, eu fico com uma asa e você fica com a outra. E aí, quem sabe um dia, voaremos juntos. E é só isso. Mais nada. 


sexta-feira, 5 de março de 2010

Caixinha de Música Invertida


Mais uma vez deparei-me com a sua caixinha. Mais uma vez entre tantas. Toda vez que ergo a tampa a música para, como se fosse uma caixinha de música ao avesso, invertida. Ela faz com que todos meus pensamentos voem de mim em silêncio, e as lembranças de ti que lá dentro guardei, começam a me invadir. Daquelas lembranças que, por volta e meia, fazem-me chorar com seus significados que nem sei se existem mais. E foi tão fácil criar tudo isso. Tão fácil guardar tudo lá dentro. Só não entendo porque é tão complicado fazer o contrário... Então acabo por fechar sua caixinha outra vez. E quando a música voltar a tocar eu vou pedir para que eu esqueça.

« »