segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Um Soneto para quando a Noite tiver Fim



De que importa esse mundo em que me abraço?
Meu mundo é ter você no pensamento.
E numa tarde fria entrego ao vento
um sinal: olhos tristes de cansaço.

Então, minhas palavras vivo a perder,
e no caminho, as tuas vou encontrando
que, por iguais as minhas serem tanto,
mesmo distante, mesmo sem me ver.

Se esta ausência não é um problema em mim,
nem o tempo e nem nada mais será...
solidão vem, mas com o tempo voa.

E quando for tarde e a noite tiver fim
seja assim: pr'o que perdeu e encontrará,
dois corpos, uma alma, uma mesma pessoa.

0 Comentários:

Postar um comentário

« »